Houve um tempo em que Espanha fora um grande Reino, o maior que se possa imaginar, mas ao seu lado tinha outro grande reino, tão grande que às vezes lhe fazia sombra além dos mares e inclusivamente em algumas ocasiões fez-lhe face e tratou por tu a este grande império que foi Espanha. A meio destes dois grandes reinos estava a fronteira, uma fronteira onde os confrontos estavam na ordem do dia, século após século. Mesmo na fronteira havia uma cidade, firme e orgulhosa, que nascera inclusivamente antes destes dois reinos e sempre ali esteve, suportando as disputas, as guerras, as festas e as celebrações, as epidemias e as misérias, as riquezas e as pobrezas, mas sempre ali, aguentando em pé. Batalyaws pode ter sido o primeiro nome desta cidade ou assentamento, ainda não o sabemos, mas a cidade de que fala o livro é sem dúvida Badajoz.

Badajoz, 50 histórias da nossa história

SKU: 9788412315745
22,00 €Precio
  • JESÚS BARTOLOMÉ. Natural de Badajoz, depois do bacharelato muda-se para Léon para estudar na Escuela de Especialistas del Ejército del Aire, mais tarde estuda inglês em Madrid e nos Estados Unidos e de volta a Espanha tira um curso de Turismo na Universidade de Saragoça. Trabalhou como especialista em reatores; professor em temas aeronáuticos, turísticos e de idiomas; tradutor e intérprete; técnico em turismo, guia turístico internacional e empresário no setor turístico (agências de viagens, hotéis e empresas de organização de eventos). Viajante incansável, seja por trabalho, lazer ou estudo, percorreu a Europa de este a oeste e de norte a sul, assim como distintos países de África, Ásia, América do Norte e do Sul com estadias prolongadas nos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Bósnia-Herzegovina e Afeganistão. É um apaixonado da história da sua Badajoz e participou em diferentes projetos relacionados com a cidade e com a Estremadura como a elaboração do “Inventário e Catalogação de recursos de turismo histórico e cultural na Estremadura e Alentejo” (1992) realizado para a Junta da Estremadura. É membro ativo da associação “Amigos de Badajoz”, cujos fins são a recuperação da história, difusão do património e costumes badajocences; e da “Real Sociedad Económica Extremeña de Amigos del País” cujo objetivo social é promover e fomentar ativamente tudo quanto signifique progresso económico, cultural, cívico, moral e democrático de Espanha e especificamente da comunidade da Estremadura. Ambas as entidades estão constituídas sem fins lucrativos.